Os remakes Live Action da Disney

Todos conhecemos os grandes clássicos da Disney. Crescemos com eles ou acompanhámos o crescimento de primos ou filhos ao som das músicas mais icónicas, a ver e rever os excertos mais inesquecíveis. A Disney conhece bem a nostalgia associada às suas histórias de sucesso e continua a recontá-las às novas gerações, agora com remakes reais, em live action, destes filmes de animação.

Os anos 90 viram nascer o primeiro remake de um clássico Disney sem ser em animação, 101 Dálmatas (1996). Nos últimos anos assistimos à estreia de filmes como Alice no País das Maravilhas (2010), Cinderela (2015), O Livro da Selva (2016) e A Bela e o Monstro (2017). Foram talvez os primeiros testes da Disney em remakes live action, de modo entender a reação de crianças e famílias a estas novas versões dos seus clássicos. Com os resultados positivos obtidos no box office, a aposta continuará a ser nestes novos filmes.

A estrear em 2019

Dumbo

Acabado de estrear nos cinemas portugueses está Dumbo, com realização de Tim Burton, banda sonora de Danny Elfman e interpretação de Colin Farrel, Michael Keaton, Danny DeVito, Eva Green e Alan Arkin.

O filme recupera a história do jovem elefante cujas orelhas demasiado grandes lhe permitem voar. Dumbo ajuda a salvar um circo em dificuldades e o seu sucesso leva-o a uma nova companhia, que o pequeno elefante e os seus amigos vêm a descobrir encerrar muitos segredos sombrios debaixo da sua fachada cintilante.

A nova versão de Dumbo inspira-se no clássico de 1941, um filme low-budget que se tornou um dos maiores êxitos da Disney numa época em que os estúdios atravessavam dificuldades financeiras – por um lado devido ao advento da II Guerra Mundial, por outro após o insucesso de Fantasia (1940) na bilheteira. A inspiração espelha que, apesar de ser um remake, há liberdade para inovar neste novo Dumbo, à maneira de Tim Burton.

Aladino

Já no mês de maio poderemos assistir, nos cinemas, à estreia de Aladino, a história de um generoso jovem árabe e de um Grão-Vizir sedento de poder em busca de uma lâmpada mágica e do génio que está dentro dela, capaz de realizar os desejos mais profundos.

O remake baseia-se no clássico de animação de 1992 e tem Guy Ritchie como realizador. Do elenco fazem parte Naomi Scott como princesa Jasmine, Mena Massoud como Aladino, Marwan Kenzari como Jafar e Will Smith no papel de Génio da Lâmpada.

27 anos depois, a Disney volta a trazer ao grande ecrã o romance de Aladino e as suas viagens de tapete voador. A magia chega aos cinemas a 23 de maio.

O Rei Leão

Para convidar toda a família a ir ao cinema no verão, o dia 18 de julho vê estrear O Rei Leão, remake do filme de 1994, com realização de Jon Favreau. Na altura foi o primeiro filme dobrado em português (sem sotaque brasileiro) e um dos filmes de animação mais adorados da Disney.

O novo O Rei Leão acompanha Simba, um jovem leão que foge do seu reino e do tio Scar após a morte do pai e vive muitas aventuras com os seus novos amigos Nala, Timon e Pumba. Este afastamento ajuda Simba a crescer e a aprender a lutar pelo que é seu, com coragem e sentido de responsabilidade.

Donald Glover como Simba, Seth Rogen como Pumba, Beyoncé como Nala e Billy Eichner como Timon são as principais vozes a dar vida aos animais reais do novo filme. Um clássico que conquista, ano após ano, novas gerações de apaixonados pela Disney, e que certamente continuará a fazê-lo com esta nova versão.

Brevemente

Em plano, a Disney tem já muitas novas estreias em vista para os próximos anos. A Dama e o Vagabundo é um dos remakes falados para estrear ainda em 2019 no novo serviço de streaming da Disney, sendo incerta a sua estreia nas salas. Segue-se Mulan, com estreia prevista para março de 2020. J2021 deverá ser palco da estreia de Pinóquio, com realização de Guillermo del Toro, e A Espada era a Lei, de 1936, terá um argumento escrito por Bryan Cogman de Game of Thrones.

Sobre os restantes remakes live action ainda muito pouco se sabe, apenas que deverão passar por filmes como Peter Pan, Branca de Neve e os Sete Anões, O Corcunda de Notre Dame, Lilo & Stitch e A Pequena Sereia.

Mas o prolongamento destas grandes histórias da Disney não fica por aqui. Há sequelas de O Livro da Selva e Maleficent em vista para os próximos anos e novos filmes em torno de personagens secundárias como o Príncipe Encantado, a Sininho ou a Cruella de Vil.

Cruella terá Emma Stone no papel principal, com foco na história da vilã de 101 Dálmatas. Tink será sobre a fada Sininho de Peter Pan, ainda sem a confirmação oficial mas provavelmente com Reese Witherspoon a interpretar a personagem.

A Disney está a revelar-se uma das maiores produtoras cinematográficas de sempre, após a compra da Marvel e, já este ano, da Fox. A aposta nestes remakes live action é uma prioridade para a produtora nos próximos anos e deverá continuar a apresentar bons resultados de exibição. Previsto está também o lançamento do seu serviço de streaming próprio, com todos os filmes e séries Disney, provavelmente em regime de exclusividade.